Informações e Dicas para as Caminhadas, de acordo com as normas internacionais do IVV, adotadas pela ANDA BRASIL.

  • Horário determinado de início e de término - O evento deve ter um horário de início e término definidos, porém o caminhante é livre para permanecer no circuito e/ou nos equipamentos disponíveis, estando ciente de que a estrutura do evento possui um tempo de funcionamento limitado.
  • Balizamento com sinalização temática, padrão internacional – O IVV dispõe de modelos de placas de sinalização, as quais devem ser fixadas em lugares visíveis e estratégicos durante o percurso. Em cruzamentos a sinalização faz-se fundamental.
  • Trajeto viável para ser praticado por todos os públicos (crianças, idosos, portadores de deficiências) – O percurso deve ser acessível, em casos de trajetos severos deve-se informar o caminhante e viabilizar formas de apoio para pessoas com dificuldades de locomoção.
  • Cada caminhante pode realizar a caminhada de acordo com sua capacidade física.
  • Trajeto, preferencialmente circular, de aproximados 10km – Em casos de trajetos não circulares, recomenda-se que ao final do percurso seja disponibilizado um veículo para locomoção dos caminhantes ao ponto de início do circuito, evitando que o caminho de ida seja o mesmo utilizado na volta durante a caminhada, o que o torna repetitivo.
  • Postos de controle a cada 2,5 km com serviços de fornecimento de água, complementação alimentar, comercialização de artesanato, agroindústria familiar e/ou manifestações culturais locais – Os postos de controle devem ser fixados em locais estratégicos, onde haja estrutura adequada para a permanência dos atendentes, os quais devem estar devidamente instruídos para fornecer informações sobre o circuito e características geográficas e culturais da região.
  • Equipes de resgate e atendimento médico – A organização local deve disponibilizar equipes de resgate e atendimento médico para os caminhantes e equipe local. Este auxílio é imprescindível para garantir a segurança da atividade. Sugere-se que a equipe organizadora disponha de equipamentos para comunicação móvel.
  • Numeração exclusiva de carimbo por caminhada (numeração fornecida pelo IVV) – ao final do circuito a carteirinha internacional deve ser carimbada com o carimbo exclusivo do circuito , o qual possui a numeração internacional forncida pelo IVV.
  • Caderneta de caminhante (Caderneta IVV) - A caderneta de caminhante internacional, padrão IVV, é entregue na 1ª primeira caminhada do participante e deve ser transpostada pelo mesmo a cada circuito para que seja carimbada a cada caminhada. Ao ser preenchida, com 10 carimbos de circuitos diferentes, a caderneta deve ser encaminhada à ANDA BRASIL para o recebimento de 1 diploma oficial ANDABRASIL, 1 pin, 1 caderneta nova e 1 bordado da ANDABRASIL - IVV.
  • Carimbos de confirmação de passagem nos postos de controle – A organização local deve providenciar uma pequena caderneta do circuito, a qual será carimbada a cada posto de controle. Lembrando que estes carimbos também são de responsabilidade da organização local e diferenciados do carimbo oficial do circuito (padrão IVV).
  • Plano de premiação ao final de cada caminhada - Sugere-se que ao final de cada caminhada seja realizada uma premiação aos participantes, como o caminhante mais jovem, mais idoso, maior grupo, entre outros. Este plano é apenas uma sugestão, uma forma de incentivar os caminhantes, e não um pré-requesito obrigatório.
  • Plano de estímulos para que caminhantes estejam sempre presentes em outras Caminhadas – A organização local e regional podem elaborar planos de estímulos para os caminhantes, o qual consiste em entrega de brindes, gratificações, diplomas e realização de divulgação integrada entre os circuitos, possibilitando que o caminhante tenha acesso às informações das caminhadas da região.
  • Divulgação internacional – todos os circuitos devem estar cadastrados no site da ANDA BRASIL, possibilitando a promoção internacional das caminhadas.
Concentração do Circuito da Farinha na sede da ANDA BRASIL em Silva Jardim/RJ